quinta-feira, 30 de abril de 2009

terça-feira, 28 de abril de 2009

Jornalismo e “jornalismo”

Cultura em Foco Por Marcelo Melo Sobraram-nos os jornais. Graças a Deus! Claro, também temos as rádios, é verdade. Mas e as TVs? Qual será o futuro das TVs em nossa região? Pergunta difícil? Nem tanto. Mas antes de dar minha opinião, gostaria de louvar alguns veículos e jornalistas que dão e sempre deram o devido respeito que nossa região merece. Lutaram – e na maioria das vezes essa palavra não se traduziu em mera figura de linguagem. Lutaram, no significado literal da palavra, para fazer jornalismo no Médio Paraíba Fluminense. Permito-me reverenciar aqui o Diário do Vale, A Voz da Cidade, o Aqui e, mais recentemente, A Folha do Interior e, claro, este FOCO REGIONAL, do qual tenho orgulho de fazer parte. Evidentemente, permito-me ainda reverenciar programas como Dário de Paula, Uiara Araújo e Bom dia, Cidade, de Claudinho Chiesse. O que todos esses veículos e programas têm em comum? Respeito à nossa região e à nossa gente. Aurélio Paiva, Feres Nader, Dário de Paula, Fernando Pedrosa, sem citar outros tantos. Agradeço a vocês todos os dias, quando leio um jornal ou ouço uma rádio genuinamente da nossa região. Quase que empiricamente com notícias que interessam à nossa terra e ao nosso povo. Como jornalista, é bom e sempre será contar com vocês. O que pude fazer foi sempre dedicar-me ao máximo a esta nossa profissão enquanto estivemos juntos. Como cidadão, não teria como agradecê-los pelos serviços que prestam e o respeito que têm pelo público regional. Mas este artigo não tem pretensão corporativista, muito menos, à mera bajulação. Aliás, este artigo talvez nem devesse citá-los. Mas vejo-me obrigado a fazê-lo para embasar a resposta à pergunta lá do primeiro parágrafo: qual será o futuro das TVs em nossa região? Após as devidas explicações anteriores, a resposta fica mais clara. O futuro é cada vez mais obscuro. Por que obscuro? Porque temos uma potência chamada TV Rio Sul que usa como principal alicerce a programação lobotizante da TV Globo. E, em detrimento ao excelente parque tecnológico e a um bom time de profissionais, insiste em limitar-se em ser o espelho do caderno de pauta dos jornais da região. Mas, pior, rasgando as páginas mais relevantes e, como dizemos no jargão jornalístico, mais quentes. Aquelas que separam os homens dos meninos. Ou os jornalistas dos “focas”. E a Band Barra Mansa? Essa, então, merece um capítulo à parte. Primeiro, assassinou a edição vespertina do tradicionalíssimo Jornal Regional. Recentemente, de forma inexplicável, limitou a apenas um bloco – com todo o respeito aos amigos sobreviventes da redação – a um único e medíocre bloco, depois de demitir diversos profissionais, alguns de destacado talento. É evidente que essa pode ter sido uma decisão empresarial que interessa apenas aos dirigentes da Band BM e com a qual nada temos a ver. Mas temos a ver quando ligamos no jornal e vemos que a população de Tanguá (?) está reclamando de um buraco; que um sujeito da Rua dos Esquecidos, em Queimados, levou dois tiros da ex-amante, enlouquecida de ciúmes. Meu Deus! O que a região Sul Fluminense tem a ver com isso? Quem daqui quer saber disso? O que a Band BM fez - e o que mais virá pela frente (?) - foi desrespeitar uma região inteira. Numa conversa recente com um amigo jornalista, em tom de brincadeira, ele me disse: “Quem diria que um dia sentiríamos saudades da TV Sul Fluminense?”. Eu já sinto. Neste mesmo espaço, aliás, escrevi anteriormente que a Band BM estava sepultando a história da TV Sul Fluminense. História riquíssima, escrita a suor e a tinta por homens abnegados, como Dicler Simões, o maior ícone de nosso jornalismo. Onde quer que esteja agora, Dicler deve entristecer-se pelas decisões burocratas em detrimento às coisas das quais ele mais amava em vida: a notícia e a região Sul Fluminense. Mas quero me redimir. Errei ao dizer que a Band BM estava sepultando a história da TV Sul Fluminense. O que ela fez e continua fazendo é ignorar a história de todo o jornalismo regional e, na prática, a região num todo, relegando todo o trabalho daqueles que aqui foram citados e, por que não, até mesmo de um jornalista abaixo da média, como eu. Mas, pior do que isso, a Band BM joga no lixo todo o respeito merecido pela maior e mais importante região de todo o interior do estado. Por todo um povo que, apesar das sucessivas crises, continua buscando pela notícia. Lendo nossos jornais e ouvindo nossas rádios. Por tudo isso, quero deixar a todos os veículos e profissionais que aqui citei, meus sinceros respeitos e o desejo de que tenham muita força para continuar com essa luta. Já à Band Barra Mansa, meu lamento. Meus pêsames.
Originalmente publicada na edição de 27 de abril a 3 maio
– Ano VII Edição n° 415 do Jornal Foco Regional

Um dia difícil...

Hoje, confesso não estou 100%. A dor do meu peito vem me
corroendo, a tristeza e a saudade resolveram me visitar.
Ha, como eu queria jogar tudo para o alto e minha vó abraçar.
Como ela me faz falta, como tenho saudades de seu amar.
Nunca usei o blog como diário, mas nunca senti tanta vontade de desabafar. A única coisa que tenho certeza é que Deus está me contemplando e me dando forças. Se não fosse por isso, não teria forças para caminhar. Acredito que a Getrudes também está a caminho, para quem não sabe é a TPM, a macaca da TPM que insiste em se intrometer pelo menos uma semana de cada mês de minha vida. Hoje realmente está sendo um dia difícil.

Profissão Jornalista

Elaine Tavares “Para nós, jornalistas estar em comunhão com e comunidades não significa unicamente uma opção de vida, mas uma nova maneira de perceber o mundo, de ver o mundo onde estamos inseridos e de conceber o jornalismo”. Ovo voa? Depende de como o vemos. Se tivermos a delicadeza, a ternura de aquecê-lo, dele sairá um pássaro maravilhoso que nos levará na direção do infinito. A forma de olhar muda tudo. Pode ser só um ovo, frágil como um cristal, mas pode ser um pássaro, leve como um perfume. Ha coisas na vida que são muito delicadas, só percebidas pelo ocular do coração, diz o filssofo Newton Tavares. Assim também deve ser encarado o jornalismo. Como uma forma de leitura do mundo em que a boca não fique prisioneira apenas dos olhos. Num fato dado, há coisas que vão além daquilo que vemos. Um fato jornalístico não acontece por acaso, não surge do nada. Há muito por detrás. Wittgenstein dizia: daquilo que não se pode falar, cala-se. Pobre homem esse, prisioneiro dos olhos, incapaz de dar luz a uma estrela. Contra ele temos Umberto Eco: daquilo que não se pode falar, narra-se. Isso deve fazer o jornalismo, dizer o dizível e o indizível, ser capaz de ver o que está além dos olhos. Repito: nenhum fato acontece do nada, tudo tem uma causa e uma consequência. Conta uma história egípcia que o homem quando morre é levado até a ante-sala do Deus supremo, onde só há uma balança com dois grandes pratos. Em um deles, uma deusa coloca o coração do morto. No outro prato, outra deusa coloca um pena de galinha. A condição para que o morto entre na glória eterna é que os pratos da balança não se movimentem. É isso que se espera de um bom jornalista, pois para dizer o indizível é preciso leveza no coração, capacidade de superar os preconceitos, capacidade para aceitar o outro como outro - não diferente, mas distinto - capacidade de entender a delicadeza da raça humana.

domingo, 26 de abril de 2009

A Tua Fé te Salvou

Pr. Robson Ramos Coelho Talvez algumas pessoas nem deem tanta importância aos versículos em que Jesus diz: “vai em paz a tua fé te salvou”, ou até mesmo “a tua fé te curou”, tenho a certeza de que Jesus estava mesmo interessado em ver o povo sarado, liberto, salvo... Quem sabe hoje você esteja se sentindo muito triste pois, uma enfermidade tem lhe tirado o sono, quero mesmo que você acredite, o Jesus de ontem é mesmo Jesus de hoje, aquele que curava, continua curando, aquele que visitava continua visitando, não me lembro de nenhuma passagem na palavra de Deus que Jesus tenha se encontrado com uma pessoa enferma e tenha marcado com um outro dia para estar podendo visitá-la e assim liberar a cura, todo encontro era marcante, pois aquele que estava triste saia contente, o que estava angustiado saia aliviado, o que estava morto saia vivo, e o que estava enfermo saia curado, hoje é o seu dia, talvez me pergunte, mas como? Eu te digo: FÉ. Mateus 9 - 22 E Jesus, voltando-se, e vendo-a, disse: Tem ânimo, filha, a tua fé te salvou. E imediatamente a mulher ficou sã. 15 - 28 Então respondeu Jesus, e disse-lhe: Ó mulher, grande é a tua fé! Seja isso feito para contigo como tu desejas. E desde aquela hora a sua filha ficou sã. Esta fé é a chave para recebermos a bênção de Deus para nossas vidas, a bíblia diz em Hebreus 11 - 6 Ora, sem fé é impossível agradar a Deus; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam. Se você está realmente esperando esta cura creia agora e se aproxime de Deus, Ele está ai juntamente contigo, sua vida pode mudar, se você acreditar que pode tudo em Cristo Jesus. Fique na paz. Receba a cura em nome de Jesus.
Fonte: Comunidade Átrios - www.comunidadeatrios.com.br *Originalmente publicado no www.gileade.com.br

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Superman

*Fruto Sagrado
Nessas horas que eu me lembro Que o sofrimento é um megafone É Deus pra mim gritando que eu não sou o super-homem Que eu sou de carne e osso que eu vou passar sufoco Vou fazer o quê? Não vou esconder meu choro Às vezes é mais fácil fingir, eu sei Fazer de conta que tá tudo bem que tá tudo zen Disfarçar que não tem nada dando errado Mas eu não sou o superman Se não fosse por Você eu jogava a toalha Tenho visto tanta coisa errada nesta estrada Muito falso herói se achando o tal Iludido com aplausos, elogios... com o pedestal Até eu já vacilei, dei bobeira, viajei Esqueci que levo tombo como qualquer um Esqueci que levo tombo, esqueci que sou normal Alguém aqui é normal? Eu sou diferente, igual a todo mundo Sem Você eu não sou ninguém Eu sou igual a todo mundo Não existe superman Eu vou insistir em Te acompanhar Haja o que houver, acredite quem quiser Mesmo tropeçando eu tô aprendendo Tô descobrindo que pra tudo existe um tempo Por isso eu tô na luta, tô sobrevivendo São nessas horas que eu me lembro Que às vezes eu machuco, às vezes me machuco Explodindo por fora, explodindo por dentro Mas eu tô aprendendo, tô aprendendo Eu sou diferente, igual a todo mundo Sem Você eu não sou ninguém Eu sou igual a todo mundo Não existe superman

quarta-feira, 22 de abril de 2009

O Pássaro e a Oração

Você já viu um passarinho dormindo num galho ou num fio, sem cair? Como é que ele consegue isso? Se nós tentássemos dormir assim, iríamos cair e quebrar o pescoço. O segredo está nos tendões das pernas do passarinho. Eles são construídos de forma que, quando o joelho está dobrado, o pezinho segura firmemente qualquer coisa. Os pés não irão soltar o galho até que ele desdobre o joelho para voar. O joelho dobrado é o que dá ao passarinho a força para segurar qualquer coisa. É uma maravilha, não é? Que desenho incrível que o Criador fez para segurar o passarinho! Mas, não é tão diferente em nós. Quando nosso "galho" na vida fica precário, quando tudo está ameaçado de cair, a maior segurança, a maior estabilidade nos vem de um joelho dobrado, dobrado em oração. Se você algumas vezes, se vê num emaranhado de problemas que o fazem perder a fé, desanimar de caminhar; não caminhe mais sozinho, Jesus quer fortalecê-lo e caminhar consigo por toda sua vida! É Ele quem renova suas forças e sua fé, e se cuida de um passarinho, imagina o que não fará por você Seu filho amado, basta você CRER!
"Se permanecerdes em mim e as minhas palavras permanecerem em vós, pedires o que quiseres e vos será feito" Jô 15:7
"Lançai sobre Ele toda a vossa ansiedade, porque Ele tem cuidado de vós" 1 Pe 5:7

Saudades eternas

Como já devem ter lido aqui no FLOR DE LIZ estes dias têm sido duros para mim e para minha casa. Há 11 dias perdi minha princesa, minha fofinha, minha bisavó e ainda não me recuperei. Este motivo é o de eu estar tão afastada daqui. Foi tudo muito de repente, nossas vidas mudaram. A única coisa que sei é que Deus tem cuidado de nós. Eu estou com saudades dela, tenho sentido dores em meu peito que nada passa. Eu amarei minha linda por toda a vida, ela sempre será um exemplo para mim. Ela era mais fofa, a mais carinhosa, a mais educada, a mais bondosa, a mais saudável, a mais sábia, a mais todas as coisas boas, lá de casa. Também era a mais teimosa, a mais detalhista, entre outros mil adjetivos. Confesso, ando sem forças para escrever. Mas não abandonei minha vida, ela continua. Eu queria ter abraçado ela, em vida, pela última vez, mas como Deus tudo sabe, não aconteceu. É um mistério a morte, e como esta não seria diferente, uma semana antes de voar com os anjos, eu e minha casa nos despedimos dela. Eu disse uma frase que ficará para sempre. Ao me despedir para ela viajar disse: “Vozinha, não vai embora não, eu vou sentir tantas saudades”. Eu só não sabia que esta saudade seria eterna...
“Ela realmente era um anjo, que voou para seu lugar de origem. Agora entendo a razão dela gostar tanto de anjos e falar sempre neles”.

Humanidade

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Vou te amar para sempre

Fevereiro de 2009
Tem uma semana que não venho aqui. Estou arrasada, sem inspiração. A pessoa que mais admirava no mundo, que era a mais sábia e maravilhosa, se foi nesta páscoa. A vó Dodó nos deixou no sábado de Aleluia e foi enterrada no domingo de Páscoa.
Muita dor e tristeza e, ao mesmo tempo conforto de Deus. Aos 91 anos, ela sabia que Deus estava vindo buscá-la. Esta certeza estava escrita em papel, estava em seus olhos, em sua fala. Como aceitar isto? Difícil, mas ela sabia.
Fofinha, todos nós vamos te amar para sempre. Quem te conheceu sabe que viveu intensamente até o úlimo momento, viajou para onde queria, comeu de tudo, riu, não dependeu de ninguém para nada, sorriu muito, fez todas as bondades e caridades possíveis, cuidou de nós, nos deu broncas e conselhos e, principalmente semeou o amor entre nós. Nunca vai existir alguém tão maravilhosa como a senhora.
Sei que esta com os anjinhos agora. Te amarei etarnamente, minha fofinha. Você faz toda a fata possível. Impossível descrever em palavra tudo o que sinto.
Que Deus agora abençoe nós que ficamos.
Domerina Barbosa de Azevedo
07/09/1917
11/04/2009

quinta-feira, 9 de abril de 2009

Campeão

Acredite, é hora de vencer. Essa força vem de dentro de você, Você pode até tocar os céus se crer. Acredite, que nenhum de nós. Já nasceu com jeito pra super-herói, Nossos sonhos a gente é quem constrói, É vencendo os limites, escalando fortalezas. Conquistando o impossível pela fé. Campeão, vencedor. Deus dá asas faz teu voo. Campeão, vencedor. Essa fé que te faz imbatível te o mostra o teu valor. Tantos recordes você pode quebrar. As barreiras você pode ultrapassar e vencer. Campeão, vencedor. Deus dá asas faz teu voo. Campeão, vencedor. Essa fé que te faz imbatível te o mostra o teu valor.
* Jamily

terça-feira, 7 de abril de 2009

Parabéns Jornalistas

Hoje, 7 de abril, é um dia importantíssimo para o mundo. É o DIA DO JORNALISTA.
Este profissional pode ser considerado os ouvidos, olhos e a voz do povo. Sempre ético e comprometido, tem a função de informar os acontecimentos do mundo e, claro, denunciar também.
Coleginhas de todo o mundo PARABÉNS.
Sei que você sabe escrever como ninguém,
está por dentro de todas as novidades,
trabalha muito, está sempre ocupado...
Mas hoje, resolvi te mandar uma mensagem de:
Feliz Dia do Jornalista!!!!
Autor desconhecido

domingo, 5 de abril de 2009

O fazendeiro e a cobra

Josh McDowell e Bob Hostetler Devocional Teen – Editora United Press "Não é bom proceder sem refletir, e peca quem é precipitado. A estultícia do homem perverte o seu caminho, mas é contra o Senhor que o seu coração se ira." Provérbios 19:2-3 Esopo, um escravo grego que viveu cerca de seiscentos anos antes de Cristo, escreveu muitas fábulas cuja finalidade era ensinara importância da verdade. Uma das fábulas de Esopo era sobre um fazendeiro e uma cobra. Num inverno rigoroso, um homem estava andando por uma estrada de terra, perto de sua fazenda quando avistou uma cobra no meio do caminho, dura e congelada pelo frio. O fazendeiro sentiu pena da cobra e a pegou. Ele colocou a criatura venenosa contra o seu peito, e após um certo tempo o calor do seu corpo começou a reanima-la. Assim que os músculos dela começaram a funcionar, a cobra picou o fazendeiro formando uma ferida mortal. O fazendeiro foi tolo, é claro. Ele devia ter sido mais cuidadoso. Ele não devia ter arriscado sua vida com uma cobra venenosa. Muitas pessoas fazem o mesmo erro hoje em dia. Talvez elas não peguem uma cobra na estrada, mas fazem coisas que são infinitamente mais perigosas. Elas pecam. Brincam com a tentação. Fazem as escolhas erradas. Depois elas ficam pensando porque não encontram a felicidade e a realização. Às vezes suas escolhas erradas têm consequências trágicas, e elas olham para suas vidas arruinadas e perguntam: "Como é que Deus fez isto comigo?""As pessoas arruínam suas vidas por causa de sua própria tolice", disse Salomão "e depois elas ficam bravas com Deus" (Provérbios 19:3). Mas Deus não tem culpa se as pessoas que o desobedecem sofrem as conseqüências. Pessoas que brincam com cobra devem esperar a picada. REFLITA: A leitura acima compara o pecado com uma cobra. De que maneira você acha que o pecado se assemelha com uma cobra? De que maneira eles diferem? Você está brincando com algum pecado ou flertando com alguma tentação na sua vida? Deus pode ajuda-lo a ficar longe do pecado e tentação se você permitir.
*Originalmente publicado no site Jesussite

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Sonhe

"O sonho é uma conquista do dia-a-dia e não uma ilusão de quem sabe sonhar". Quando o sonho florir Não o impeça de se realizar. Vá em frente ! Não recue diante do que poderá viver. Sonhe sempre, Mas nunca permaneça na ilusão. Siga em frente com toda força, faça do seu coração seu guia. Em todos os momentos Mantenha sempre a esperança. Quando todas as coisas disserem "não" a um sonho seu, Demonstre que quem vive por um ideal, o alcançará. Não desista nunca, não tenha medo de ser feliz. Sonhe, pois quando se luta, Sonhar vale a pena.
"Se tentaram matar os teus sonhos sufocando o teu coração, se lançaram você numa cova e, ferido, perdeu a visão não desista, não pare de crer os sonhos de Deus jamais vão morrer! Não desista, não pare de lutar, não pare de adorar. Levanta teus olhos e vê, Deus está restaurando os teus sonhos e a tua visão. Recebe a cura, recebe a unção, unção de ousadia, unção de conquista unção de multiplicação" (ludmila ferber)
"Porque Eu bem sei os pensamentos que penso de vós, diz o Senhor, pensamentos de paz e não de mal, para vos dar o fim que esperais". Jeremias 29:11
*Originalmente publicado no site JesusSite

quarta-feira, 1 de abril de 2009

STF julga Lei de Imprensa e exigência de diploma para jornalista

Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) analisam nesta quarta-feira (1º de abril) a validade da Lei de Imprensa e a exigência do diploma de jornalista. A Suprema Corte vai avaliar se a lei, criada na ditadura militar, é incompatível ou não com a Constituição de 1988 ou se contém alguns dispositivos que devem ser preservados. No primeiro caso, o STF vai julgar ação movida pelo PDT contestando a Lei de Imprensa, que já teve suspensos 22 dispositivos dos 77 artigos em caráter liminar. O relator da ação é o ministro Carlos Ayres Britto. Na decisão, o Supremo autorizou os juízes a utilizar as regras dos códigos Penal e Civil para julgar processos que envolvam os artigos da Lei de Imprensa que foram suspensos. Em outro julgamento, os ministros vão analisar recurso do Sindicato das Empresas de Rádio e Televisão de São Paulo e o Ministério Público Federal para decidir, em caráter definitivo, a exigência do diploma para o exercício da profissão de jornalista. Em julgamento de liminar em novembro de 2006, o STF garantiu o exercício da atividade jornalística aos que já atuavam na profissão, independentemente de registro no Ministério do Trabalho ou de diploma de curso superior na área. O ministro Gilmar Mendes é o relator do recurso.
*Originalmente publicado no O Dia online