quarta-feira, 9 de maio de 2012

Valerá à pena


A luz tenta acender em mim uma chama que parece ter se perdido na noite de hoje
Faz frio lá fora e aqui dentro um sentimento
Que há muito tempo não me invadia, resolveu bater em minha porta
E ele, esperto, encontrou uma brechinha e entrou
Eu tentei rejeitar, mas ele disse que me visitaria só por hoje.
Com ele achei lágrimas, saudades e fortes emoções...
Saudades de algo que ainda não tive, que posso não ter...
Lembranças das palavras que ouvi e das que disse também.
Alguns momentos martelam em minha mente como fotografias frescas,
Vontade de que o tempo passe logo e leve com ele esses sentimentos na bagagem.
Espero que o dia amanheça melhor.
Que a primavera floresça e as lágrimas deem lugar aos sorrisos e gargalhadas.
Não que essas lembranças não me façam sorrir,
Mas é um sorrir singelo, com pouca esperança de que as cenas
Que se passam em meus olhos como filme, se repitam.
Não me peça para traduzir o que sinto, nem o que você significa para mim.
Peça simplesmente para que eu feche a porta e
Não permita mais que a vontade de você invada meu ser.
Por favor, já que se foi, feche a porta, leve a chave e toda a saudade,
Leve para o seio de um outro alguém,
Que em breve estará em seus braços
E eu no aconchego do meu edredom aguardo o meu melhor chegar
E sussurrar em meu ouvido que valeu a pena  esperar


Thayra Azevedo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é de suma importância. Ele será exibido após minha aprovação. Obrigada. Volte sempre. Thayra Azevedo