quinta-feira, 18 de junho de 2009

SAUDADES

Saudade não tem preço, não tem hora, nem idade Saudade não tem nome, endereço ou identidade Saudade tem tamanho, sentimento estranho que aparece Saudade surge de repente, sem pedir licença, inconveniente Saudade dói, aberto o peito, irrita o coração Saudade faz parte, companheira da perda e do amor Saudade é amiga da distância, da ausência da carência Saudade invisível, me faz sensível Saudade para que saudade? Saudade boa, saudade ruim Tudo sempre será saudade
Thayra Azevedo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é de suma importância. Ele será exibido após minha aprovação. Obrigada. Volte sempre. Thayra Azevedo