terça-feira, 23 de junho de 2009

Reflita

Passeando pelos blogs encontrei este texto perfeito. O autor, Pedro Augusto tem futuro!
Jogue o lixo fora...

P.Augusto

Depois de lacrar um saco de lixo você o reabre para rever o que há lá dentro? Geralmente só remexemos o lixo se algo de valioso tiver sido perdido. Isso, porque lidamos com a hipótese de o termos lançado fora sem querer. Se não é esse o caso, o que tiver ido para o lixo nós não mais veremos e sequer lembraremos de tudo que está ensacado e pronto para sair de nossa casa. Se esse saco ficar conosco ainda por alguns dias, e nós o reabrirmos por qualquer motivo, o cheiro estará insuportável, micróbios existirão aos montes e nossa saúde poderá estar sendo severamente ameaçada.

O mesmo acontece quando guardamos e remexemos tudo o que de ruim já passou por nossa vida. Sempre que deixamos que nossa mente se perca em más lembranças, nós estamos reabrindo um "saco de lixo". É bem provável que esteja aí a causa de muitas doenças físicas e mentais.

Volte um pouquinho seus pensamentos para aqueles que já lhe fizeram algum mal e veja como você se sente. Reveja as mágoas, os ressentimentos, as raivas, os desapontamentos, as desilusões, as decepções e pense no "cheiro" que tudo isso tem. É assim que você remexe os lixos guardados dentro de si. Há quanto tempo eles estão guardados aí? Por quanto tempo você ainda os guardará?

Pergunte-se: "Pra quê me serve toda essa sujeira?" Observe honestamente a resposta.

Sujeira atrai mais sujeira, lixo atrai mais lixo, lembranças nocivas atraem miséria material, física e espiritual. É isso que você deseja para si mesmo? Coloque seus pés no limpo chão do presente: ele é o caminho para um limpo e feliz futuro. Agarre-se às suas metas, busque realizar os seus sonhos, guarde os tesouros já recebidos. Você só merece ser feliz.

Por uma vida mais digna, por um futuro melhor, jogue o que é lixo no lixo. E QUEIME O LIXO!

*Originalmente publicado no blog Liberdade e Expressão de Pedro Augusto http://pedroad.blogspot.com

Um comentário:

  1. poxa Thayra, que bom que você gostou das coisas que eu escrevo!
    Pois é de pequenos incentivos que nós precisamos para continuarmos nessa difícil caminhada!
    Posso ter somente 17 anos, mas creio que posso fazer também a diferença!
    Abraços poéticos.

    ResponderExcluir

Seu comentário é de suma importância. Ele será exibido após minha aprovação. Obrigada. Volte sempre. Thayra Azevedo