quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

O NOVO

De um velho caminho renasci Minhas antigas folhas ainda não caíram As novas sementes não nasceram Observo a natureza, os movimentos dos pássaros, Aproximo-me da conclusão que a nova fase se avança Dentro de mim Hoje em minha essência não sei proferir quem sou Como nuvem passageira vivo meus dias Sem saber qual direção seguir Pedindo aos céus Que a cada amanhecer seja poesia O Futuro me espera, esperanças me rodeiam O brilho do meu olhar safo Reflete no espelho revelando quem sou eu Alma alegre, sonhadora, em intensiva mutação Pessoa feliz, que pede aos pássaros que a guie para correta direção Do fundo da alma soa um grito A mudança chegou, dolorida Aceitação do que era indiscutível Faz parte desse novo caminho As novas sementes se mostram vivas Antigas raízes adormecidas Mente aberta e consciente Da necessidade da maturidade O Novo de Deus chegou
Thayra Azevedo

Um comentário:

  1. O novo muitas vezes é temido, indesejado e desconfortante. Mas confesso que vi em suas palavras alguma coisa além do que sempre imaginei... O meu novo é sempre velho, e além de um passo a frente já não sei mais o que sou.
    Meu caminho não tem nome, mas você descreveu bem o seu.
    Belíssimas palavras.

    Estarei sempre por aqui companheira!
    Beijos

    ResponderExcluir

Seu comentário é de suma importância. Ele será exibido após minha aprovação. Obrigada. Volte sempre. Thayra Azevedo