sexta-feira, 16 de abril de 2010

Túnel do tempo

*Amanda Rahra //

Foto: Corbis / LatinStock

Feche os olhos e tente resgatar um momento marcante da sua vida pelo cheiro – que permeou a cena, o lugar, a relação com alguém. E não é que somos capazes de acessar (e até de sentir!) de novo o invisível ar do cangote daquele grande amor da escola? E essa memória pode ficar ainda mais forte e colorida se você passar por alguém na rua que use o mesmo perfume. Por um instante, é como se estivéssemos lá, com a cabeça encostada no ombro amado. E faz tanto tempo... Isso acontece porque os cheiros registrados em nossa memória são afetivos, ou seja, fazem com que a gente seja capaz de evocar, mais do que o aroma, toda a cena em que vivemos, explica a neurocientista Suzana Herculano-Houzel.

Para alguns, a fragrância de protetor solar é só agradável. Para mim, é o perfume das férias de verão. O sabonete que limpava a mão do dentista, por melhor que fosse, me provoca calafrios até hoje. “O mesmo cheiro não funciona para todo mundo, porque está associado muito mais às emoções do que à combinação de moléculas que o compõe”, diz Suzana. Seu nariz, quem diria, é um túnel do tempo.

Revista Sorria - Família, ed. 5, pg 12.

Um comentário:

  1. Olá irmã! A paz!!
    passamos p visitar e dizer que seu blog esta de parabéns! muito edificante!
    ja estamos seguindo. passa nos nossos,siga e diga o que achou! bjs!!!
    SOMOS DE CRISTO:
    www.meusenhorvive.blogspot.com
    ESPOSA VIRTUOSA
    www.esposavirtuosasim.blogspot.com

    fique na paz!!!
    SUED E ALEXANDRE

    ResponderExcluir

Seu comentário é de suma importância. Ele será exibido após minha aprovação. Obrigada. Volte sempre. Thayra Azevedo